Dieta sem lactose… uma moda?!

Já percebeste a quantidade de produtos alimentares sem lactose que vão aparecendo nas prateleiras do supermercado… Nos últimos anos, há imensas pessoas a adoptarem uma dieta restritiva em lactose, e não me referindo apenas aos que sofrem de intolerância.

Será a intolerância à lactose assim tão perigosa ou uma moda?

 

_MG_2695

No leite, iogurte, queijos, creme de leite, manteiga e muitos outros alimentos: a lactose parece estar mesmo por toda a parte, o que causa grandes dificuldades para as pessoas que não conseguem digerir este tipo de açúcar.

Para quem acha que a intolerância à lactose é uma moda e não é um problema que pode merecer uma redobrada atenção, é bom alertar para o que acontece a quando a falta da enzima lactase na flora intestinal, impossibilitando a digestão do leite e seus derivados!

Posto isto, acontecem  sintomas bem conhecidos de quem sofre deste problema: cólicas terríveis, inchaço na barriga, diarreia e às vezes até vómito.

Conheca-os-principais-tipos-de-intolerancia-a-lactose-730x375


 

Existem três tipos diferentes de intolerância à lactose, dos quais dois podem, aparecer na tua vida depois de anos a beber leite de vaca. 

Intolerância congénita

Esta é uma forma genética, a mais rara das intolerâncias à lactose. Nela, a pessoa já nasce com deficiência da lactase, o que pode trazer problemas na amamentação. Por sorte, a doença é recessiva, então para que um bebe nasça com esta intolerância, é necessário que o pai ou a mãe também tenham uma intolerância congénita, facilitando a previsão do problema, procurando as soluções antes ainda de começar a amamentar a criança.

Intolerância primária

Este tipo de intolerância à lactose também é genético, mas apenas se manifesta numa idade mais adulta. O nosso corpo sabe que vai precisar da lactase para digerir o leite materno na nossa infância, porém, à medida que vamos crescendo, paramos de a produzir, aumentando as dificuldades para digerir os alimentos lácteos.

Para controlar estas duas intolerâncias (congénita e primária), o tratamento passa também por controlar a quantidade de lactose ingerida todos os dias.

Intolerância secundária

Até quem não tem nenhuma predisposição genética à deficiência de lactase, pode passar por este problema quando alguma outra condição prejudica a flora intestinal. Doenças inflamatórias, gastroenterite e doença celíaca estão entre as causas de redução da lactase no nosso organismo, levando a uma intolerância — temporária — à lactose. Nesses casos, felizmente, é só tratar a doença que está a conduzir à falta de lactase para resolver a intolerância!


 

Alguns benefícios de uma dieta restritiva em lactose:

  • Redução da oleosidade da pele, tal como os problemas de acne;
  • Digestão mais leve, sem os constrangedores gases e a sensação desagradável de inchaço;
  • Segundo estudos, previne o cancro relacionado a questões hormonais.

_MG_2691

Alternativas ao leite de vaca:

  • Nas receitas, o leite de vaca pode ser trocado pelo leite de coco, de amêndoas, soja, a MIMOSA tem um leite 0%lactose e já existem outras marcas.

header_0_lactose_a

  • Também há queijos que têm naturalmente menos lactose, que podem ser consumidos (sem exageros)
  • Em queijos suíços como o camembert, o brie e o rocquefort, assim como o holandês edam, por exemplo as bactérias usadas na fabricação consomem quase toda a lactose! Transformam a lactose em ácido lático.

 

Não há razão para restringires a lactose da tua dieta, se não apresentas intolerância! Consulta um nutricionista na dúvida!!! 😉

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Pin on Pinterest0Share on Reddit0Share on Tumblr